Author Archive: Alessandra Yoshida

Sonhos de infância

Sonho de infância

Quando lembro de mim criança, um sorriso automático e uma viradinha de pescoço para o lado esquerdo sempre acontecem.

Se tiver algum psicólogo de plantão, fique à vontade para analisar… é recorrente e após a lembrança a sensação é sempre de muita alegria e paz. (iupi!)

No sobre do blog eu comento que sempre quis ser jornalista, desde criança e é a mais pura verdade.

Quando os adultos me perguntavam o que eu queria ser quando crescesse, respondia prontamente: jornalista.

Foi um sonho de criança realizado.

Meu mesmo, não foi imposição dos pais, opinião de irmão e nem influência de amigos, na época do vestibular lembro que metade dos meus colegas de classe foram para o direito e outros para a odontologia.

Eu queria mesmo era ser jornalista, escrever a verdade, fazer reportagens bem explicativas, levar a informação imparcial a todos, imprimir meu estilo de escrita e me realizar com matérias investigativas que elucidariam a todos.

Pois é, fui repórter do Caderno Por Conta Própria, da Gazeta Mercantil, caderno de pequenas empresas. Cobria feiras e eventos e às vezes era agraciada com uma pauta para fazer sobre alguma invenção, ou algum micro empresário que estava conseguindo resistir aos dois primeiros anos do seu negócio.

Depois fui assessora de imprensa e confesso, aquilo não era para mim. É uma profissão linda, mas tem que ter jeito para a coisa e eu definitivamente não tinha.

Ou seja, a adulta Alessandra realizou o sonho da Alessandra criança e simplesmente eu não me encontrei nele.

Teve o lado bom, claro, adorei fazer a faculdade de jornalismo, fiz ótimos amigos e estudei matérias muito importantes que uso até hoje e que me ajudaram na carreira de Change Manager, mas o sonho não era mais meu.

O que fiz?

Pedi demissão, peguei a rescisão e fui para o Canadá!

Quando me lembro dessa decisão é com a mesma reação: sorriso e cabeça viradinha e um olhar para a esquerda lembrando com carinho daqueles dois meses.

Voltei e mudei de área, de carreira, de rumo.

Se tinha medo?

Olha, queria aqui estabelecer um elo com você que está com medo de mudar, mas não será nesse post, eu não tive um milímetro de medo (não sei porque sempre acho que medo é medido em litro).

Foi tão bom mudar, eu tinha tanta certeza do que eu não era, que partir para uma nova estrada era a coisa mais sensata a fazer.

Não foi com pesar, não teve arrependimento, mas sim a constatação: o sonho infantil determinou o rumo de uma história que não me cabia mais, eu cito isso no final de um post que fiz no meu antigo blog (falei dele aqui): “o jornalismo é dedicação à escrita e a minha cabeça não esperava a próxima edição”.

Hoje sou grata àquela escolha, pois tenho muita facilidade para escrever, aprendi muito com bons mestres, trabalhei com profissionais admiráveis, mas penso também no quanto as pessoas ficam presas aos sonhos e promessas feitas num momento da vida, como se fossem cometer um pecado mortal descumprindo um trato que fizeram consigo mesmas.

Pode ser libertador para você ler aqui que eu aos 28 anos mudei de profissão e iniciei uma carreira muito bem sucedida como Change Manager e fui muito feliz.

Mais libertador ainda saber que sete anos depois eu mudei de novo, abri minha empresa e comecei a fazer eventos corporativos, treinamentos e dar palestras.

Mas não parou por aí, dois anos depois tive que voltar à Gestão de Mudança e deixei a empresa em stand by.

Sim, hoje você está lendo a continuação do sonho que tirei do stand by e agora estou no: “Run, Forest, run!”.

E o que eu posso te dizer disso tudo?

Bom, que sonhos são lindos de sonhar.

Podem ser lindos de realizar.

Mas que você não precisa ser refém deles. Sonhe outros sonhos, queira outras coisas, trilhe novos caminhos, todas as suas escolhas te compõem e você é dono de todas elas.

Se ficar por aqui, te conto em detalhes as mudanças que eu vivi. Elas podem te encorajar de alguma forma, ou apenas te fortalecer em seu propósito.

Falando em propósito, você já descobriu o seu? Eu já! Falamos nisso em um próximo post.

E bora lá sonhar novos sonhos!

Lançamento Podcast da Alê

Divulgação redes sociais8 dias depois do lançamento do site, blog e do canal do YouTube meu grande amigo o Locutor Maurício Macri me convidou para testar um novo canal para o meu trabalho, ele que já tem programa de Rock no SoundCloud, que eu acompanho e recomendo, queria transformar meus posts em áudio!

Fiquei muito feliz com o convite, mas imagina você a quantidade de coisas que estavam acontecendo na minha vida e eu teria mais uma demanda, porém na semana seguinte o primeiro teste de locução estava pronto. Eu me apaixonei pelo projeto e de lá para cá colocamos o sonho, dele e meu, no ar.

Podcast-04Compartilho com você esse processo de criação, pois em 14 dias tínhamos 4 textos prontos, um canal criado, a produção de áudio e locução concluída e o logo do canal e dos programas lindamente criados pelo Felipe Borges, do Estúdio Imaginando.

Sim, é possível sonhar, planejar, criar e realizar em pouco tempo, mas não pense que não teve esforço, carinho e muita dedicação, além de uma generosa ajuda da nossa curadora de conteúdo e redes sociais Gleide Morais.

Mudar de sonho para realidade é uma ação que pode precisar de ajuda, pode depender apenas de você, mas com certeza tem que ter uma dose grande de: ACREDITAR.

Vem com a gente, acredita no sonho e bora lá realizar.

Para nos seguir no SoundCloud clique aqui para ouvir nosso primeiro Podcast aperte o play!

Interrupções necessárias

Nesses 16 anos de comunicação e 12 de gestão de mudança me deparo, vira e mexe, com muitas pessoas querendo mudar.

Olho para elas e penso: já estão mudando, mas quem sou eu para contar?

Mudamos o tempo todo, nos empolgamos com pessoas, lugares, ideias. Mudamos e às vezes nem nos apercebemos disso.

Como sempre falo, mudança é um processo e não um evento isolado, um fato… muitas vezes a mudança começa bem antes da tomada de decisão e termina só muito tempo desse dia da consciência, pois como disse, é um processo!!

Há 5 anos comecei um blog, que durou exatos 3 posts!!!

Agora olho e me divirto, estou rindo contando isso a vocês!! (rsrsrs)

Mas os motivos que me levaram a criá-lo foram tão nobres e verdadeiros quanto os que me fizeram não continuá-lo.

Tudo tão certo!

Estou retomando o meu projeto de vida e criando um novo blog, esse que você está lendo agora. Pensei em revisitar o antigo, pois ele também me compõe… achei tão lindo tudo, parte de mim, ainda lembro da sensação de começar, a vontade de continuidade, mas lembro também da sensação do parar sem culpa e refleti: quantas partes de mim não revisito há tempos? Quantas partes lindas de mim deixei pelo caminho? Quantos projetos iniciados e interrompidos?

Não foi com olhar de frustração e nem de decepção que fiz essa reflexão, apenas constatei: tem muito de mim parado em muitos lugares de mim mesma.

Escrevendo pra vocês consigo organizar em palavras esses sentimentos soltos, e te faço uma proposta, ao final da leitura, pare também por cinco minutinhos e lembre de tudo o que você se empolgou no começo e não deu manutenção, ou naquele sonho sonhado e até iniciado que não foi para frente.

Acredito muito que temos condições de olhar o passado com gratidão e de forma amorosa e entender alguns porquês, assim como acredito também que possamos ser generosos com a gente e não nos julgarmos pelas interrupções, simplesmente não era para ser, por falta de pegada, incentivo ou disposição. Não era para ser.

Hoje eu consigo olhar para tudo isso e analisar de forma serena os motivos e razões. Algumas ferramentas de Gestão de Mudança de Vida me auxiliam nesse processo, técnicas adquiridas nos treinamentos de desenvolvimento humano me possibilitaram ver o ser infinito que sou e que posso dar conta de ver a minha sombra e trabalhar para que as coisas não se paralisem.

Vamos falar bastante disso por aqui. Quero dividir com você as ferramentas que eu uso nos meus atendimentos e as técnicas e metodologia usadas na gestão de mudança.

Mas o que quero compartilhar hoje é apenas o cabeçalho do meu antigo blog, que me fez ver o quanto que somos e que às vezes nem nos damos conta!!!

(Daí entra uma reflexão dentro da reflexão: se nem nós, às vezes, damos conta da gente, como pedir para que o outro dê? Mas isso fica para outro post. \o/)

Receba com carinho, da Alessandra de 2009, que ainda me habita o cabeçalho do promissor blog de 3 posts (rsrs):

Interrupções necessárias

“Quando eu venço o medo.
Quando eu encontro a coragem.
Quando eu ouço a música.
Quando a lágrima escapa.
Quando a dor aperta.
Quando o tempo separa.
Quando a cabeça fervilha.
Quando a boca se cala.
Quando eu vejo o mundo.
Quando eu descubro o mapa.
Quando o caminho é longo.
Quando chegar é a graça.
Não importa quando,
Eu sempre tenho algo a dizer.”

E bora lá que estamos apenas começando essa conversa!!

Cantinho Ins-Pira-Ação

Card 01-04

Ao final de todas as minhas propostas comerciais eu coloco essa frase e adoro o efeito que ela causa…

Em alguns inquietação, em outros provocação e numa minoria coisa alguma.

Os que se sentem inquietos geralmente se sentem assim, pois andam sem objetivo, sem sonho e sem saber ao certo o que buscam, aos que se sentem provocados muitas vezes tenho que responder e-mails de “o que quis dizer com aquela frase no final?”, e minha resposta-pergunta invariavelmente é: o que você entendeu?

E assim começa o nosso processo de mudança…

Aos que coisa alguma desperta acabam causando um questionamento em mim, será que leram? Será que ignoraram? Mas prefiro mesmo é acreditar que sabiam o que procuravam e por isso mesmo me encontraram!!!!

E assim começa a nossa parceria.

E você? Sabe o que procura?

Está desperto para descobrir quando achar?

Seja lá a resposta, o que vale mesmo é a pergunta… sinto que nosso processo de mudança já começou… :)

Lançamento site Change Manager e Blog Alessandra Yoshida

No dia 07 de janeiro de 2015 reuni no bar Delirium Café São Paulo, minha família, amigos e colegas de trabalho para dar o start à nova fase da minha vida profissional.

Mas claro que as revoluções e insights aconteceram todos na vida pessoal mesmo. Tanto carinho recebido, tanta gente querida saindo de casa numa quarta-feira, da primeira semana do ano, debaixo de chuva, só para me dar um abraço e expressar seu apoio, ouvir de todos o incentivo e ver a receptividade à minha nova proposta de trabalho foi algo transformador e uma grande constatação: basta ACREDITAR!!!

A intenção de fazer um lançamento oficial foi partindo da máxima: se eu guardo algo para mim, me comprometo um tanto e se não der certo, só eu sabia mesmo, mas se conto para amigos e familiares, automaticamente, o sonho ganha força, o plano, aliados e o sucesso fica mais próximo.

A correria para deixar tudo pronto valeu a pena. Tudo passa como um filme, os anos de trabalho, os amigos que fiz ao longo da carreira e o quanto sei que posso contar com todos nessas minhas empreitadas.

E o coração se alegra de saber que posso ajudar muito mais gente e empresas em seus processos de mudança. Feliz por aqui viu, um tantão!!

O site ficou lindo, se você ainda não viu clica aqui, o blog promete, pois assunto não falta e gente querida elogiando idem, então lê o primeiro post e volte sempre. E como lançamento pouco é bobagem o canal do Youtube faz parte do pacote, quarta passada foi ao ar meu primeiro vídeo, depois de 40 tentativas que eu conto como foi no segundo vídeo com direito a erros de gravação (rsrsrs).

E a alegria de ter dado esse passo não para por aqui não, o caminho tá só começando e o convite a vir caminhar comigo tá feito, vem aí!!!

Algumas fotos do lançamento:

Lançamento 1 Lançamento 2 Lançamento 3 Lançamento 4

Clique no link para ver a retrospectiva dessa minha jornada como Change Management: Retrospectiva Change Management

Até o próximo!! Borá lá…

Bora mudar?

Bora mudar

Para quem muda muito, não mudar é uma grande mudança.

Te soou estranha essa frase? Pois é, deixa eu te contar uma coisa, às vezes fazer o oposto do que sempre fazemos é a mudança que tanto precisamos para realmente mudar o rumo da prosa.

Nessa vida corrida, e ultimamente bombardeada por muita informação, aquietar-se é tarefa árdua e o ócio pode ser a o grande movimento necessário para se encontrar.

Quando decidi iniciar o blog fiquei pensando: tenho tanto a falar, mas será que tem alguém que queira me ler?

A resposta não veio, porque nem fiz a pergunta. Me paralisei e passei um ano tomando impulso. A sensação era a mesma de quando pulava corda na infância, sabe aquela paradinha que damos esperando a hora que a corda estará lá encima para entrarmos… pois é, levou um ano.

Sou muito agitada, trabalho desde os 15 anos, falo muito, ouço bastante, trabalho com gestão de mudança, por que raios eu estava catatônica?

Aí me veio o insight: eu estava mudando! E dessa vez de dentro para fora, sem um estímulo do meio que me cerca. Não era uma prova, a data de entrega de um projeto, uma viagem, a mudança de casa, um novo ano letivo, a mudança do estado civil ou de trabalho, era algo de dentro, como brinco: “era uma mudança do fundo do âmago do meu ser” e pela primeira vez eu estava com medo.

Algumas pessoas mais próximas a mim costumam acreditar, e me dizem, que eu sou destemida e um exemplo de coragem e determinação. Ah! Se eles soubessem…

Como não temo a mudança, pois sei que a impermanência é uma constante e estudo e trabalho com isso há tempos, cada vez que um novo cenário se apresenta eu uso as ferramentas que conheço para tornar o processo o mais suave e leve, não que às vezes não derrape ou sofra com um rompimento, um projeto mais complexo, uma questão familiar ou a nova tela do Itaú Bankline que eu não acho mais onde faz transferência, mas na maioria das vezes consigo exercitar a resiliência e aproveitar a mudança na sua totalidade.

Só que dessa vez a casa caiu e que delícia está sendo.

Uma nova chance de subir paredes com a minha cara, uma nova chance de decorar com as cores que eu quero e o mais legal de tudo, olhar para trás e poder ver que nesse um ano esperando o momento certo de entrar na corda me revelou tantas nuances de mim mesma que eu só tenho a agradecer. (agora né, porque teve dias que o bicho pegou de um jeito que eu dei uma surtadinha, normal! :) )

Esse último ano foi de mudanças silenciosas e internas e posso te assegurar que para quem vive ligado no 220v ficar unplugged é um desafio.

E o bônus desse momento foi recompensador. Consegui ouvir a mim mesma, retomei meus sonhos, busquei e encontrei minha missão, entendi que sofrimento e tristeza fazem parte e mais que isso, toda minha fragilidade não me enfraqueceu, pelo contrário, me fortalece a cada dia.

Hoje posso te dizer, tô pronta!

Amanhã novas mudanças vão chegar, eu sei, sempre chegam, mas vão encontrar uma Alessandra muito melhor, que entendeu que dentro do caos se faz a luz e que as diferenças são a grande graça da vida.

Bora mudar_II

Esse é o primeiro post dessa nova empreitada, então, te agradeço ter chegado até o fim dele.

Por aqui vamos falar de muita coisa relacionada a mudança de vida, superação, trabalho, desafios, desenvolvimento pessoal, minha jornada dentro dos projetos, Coaching, sonhos e desejos, mas troca comigo, eu me construo nos encontros, deixe nos comentários perguntas, sugestões e “provocações”, vou adorar conversar com você.

E preciso confessar: agora que o texto saiu, junto com ele saiu também um suspiro do fundo da alma, um sorriso e até um suor do olhos, afinal, desnudar-se em público é novo e como tudo que é novo me atrai um tanto, vixi, tô feliz, hein!!

E bora lá que temos muito ainda para falar.

Bora mudar_IV


Fotos: Alessandra Yoshida | Rambla Del Mar – Barcelona (ES), 2013 ♥